Alma dá primeira estrela a Henrique Sá Pessoa

O chef Henrique Sá Pessoa reabriu em 2015 o Alma e é agora distinguido pelo Guia Michelin 2017. Releia o artigo da Evasões sobre o restaurante.

Henrique Sá Pessoa dispensa maiores apresentações. O que, tratando-se de um chef, não é assim tão comum, se falamos do grande público. As prestações televisivas, em programas de culinária e em anúncios, fizeram dele figura mediática, mas também comercial – o que acabou por se refletir na sua trajetória profissional. Por opção e por força das circunstâncias, estava arredado da alta-gastronomia e parecia muito tranquilo, quase apaziguado, com a decisão.

Porém, não faltava quem, perante a sua experiência, provas dadas e margem de progressão, o instigasse a investir em voos mais altos – isto levando em conta que o primeiro Alma, em Santos, ficou sempre a meio termo na proposta gastronómica. Encontrados os sócios certos, que já estão com ele em projetos como o Cais da Pedra, e garantida a localização no Chiado, foi só uma questão de tempo para se cumprir um regresso há muito anunciado.

Para subir a fasquia, Sá Pessoa não precisou só de um espaço à altura, mas também de uma cozinha maior, de uma equipa todo-o-terreno (com a aposta na contratação de um escanção, Rodolfo Tristão, e de um chef pasteleiro, Telmo Moutinho, à altura do desafio), e de uma decoração «elegante mas sem extravagância» em que sobressaem a madeira despida, a pedra e a iluminação cirúrgica.

Antes de abrir as portas, o Alma foi afinado por fases: primeiro os pratos, tendo cada um levado, em média, um mês de experimentação e que não vai haver menus sazonais – «uma das coisas que os inspetores Michelin mais apontam aos chefs portugueses é o facto de estarem sempre a mudar a carta, por isso vou apostar numa maior consistência e continuidade», defende-se; seguiu- se o serviço de sala. Do seu receituário, Sá Pessoa trouxe apenas o leitão confitado.

O resto foi criado de novo e inclui propostas à la carte como o choco laminado com foie gras, cavala marinada, cenouras assadas ou sorbet de maçã Granny Smith. Foram pensados três menus de degustação, com três e cinco pratos (fora o couvert, os amuse-bouches e os snacks), que variam entre 60 e 80 euros. Para já, a expetativa é grande.

 

Alma
Rua da Anchieta, 15 (Chiado), Lisboa
Tel.: 213470650
Das 19h00 às 23h00. Encerra à segunda.
Preço médio: 30 euros

 

Este artigo foi publicado originalmente na edição 34 da Evasões, a 20 de novembro de 2016. Foi atualizado a 23 de novembro, após anúncio dos restaurantes distinguidos pelo Guia Michelin 2017.



CONTEÚDO PATROCINADO