Vem aí a Padaria da Esquina de Vítor Sobral em Campo de Ourique

(Fotografia de Paulo Spranger/GI)
Há muito que estava prometida por Vítor Sobral, que chegou a ter em tempos uma localização em vista no bairro de Campo de Ourique, em Lisboa, mas parece que é desta que avança mesmo e com uma parceria de peso: Mário Rolando, o mestre do pão.

Em São Paulo, no Brasil, onde também abriram réplicas da portuguesa Tasca da Esquina, a Padaria da Esquina soma prémios e conquistou os brasileiros não só pelo pão mas também graças à comida servida ali. Vítor Sobral, à frente de um grupo que inclui ainda os chefs Hugo Nascimento e Vítor Espadana, nunca escondeu o desejo de ter uma padaria em Lisboa, onde já existe a Tasca, a Peixaria e o Balcão, mas tardava a encontrar uma localização no bairro de Campo de Ourique, o seu eleito desde sempre, para concretizar o negócio — que esteve para avançar tempos atrás sem nunca chegar a vias de facto.

Agora, e o próprio Vítor Sobral o anunciou na sua página de Facebook a 21 de junho, a abertura da Padaria da Esquina vai mesmo acontecer — «Brevemente em Portugal, numa Esquina algures em Campo de Ourique», escreveu. Ainda não se sabe muito mais sobre esta nova empreitada — que no Brasil privilegia os produtos típicos da pastelaria e padaria portuguesas, incluindo na carta opções para o dia todo como saladas, sanduíches e salgados, além de clássicos como as bifanas ou os pregos —, mas é natural que sofra algumas adaptações ao gosto nacional.

Certo mesmo, para além do bairro lisboeta onde ficará, é a parceria com Mário Rolando, tornada pública desde que Sobral convidou o «mestre do pão» a participar no programa A Última Ceia, produzido e transmitido pelo Canal História em abril deste ano.

Rolando, que já exerceu advocacia na área do Direito da Família e Proteção de Menores, aprendeu a sua arte com Vítor Moreira, considerado por muitos como «o Papa do pão», e é um adepto do pão à moda antiga — ou seja, usando apenas grãos acabados de moer em mós de pedra, massas-mãe selvagens (as leveduras naturais que voltaram à ordem do dia) e, claro, fermentações longas. Num país e numa cidade onde se come muito pão, mas nem sempre da melhor qualidade, a no Padaria da Esquina promete trazer novas achas para a fogueira.



CONTEÚDO PATROCINADO