Soberba: comida com raízes e mesa de conforto

O chef Igor Martinho tem agora uma casa perto de Entrecampos. Onde nos sentimos bem-vindos e onde o conforto é nota dominante - no espaço e no prato.

Quem o conhece do Mãe Luísa sabe o que esperar: trabalho de autor, orgulho ribatejano, pés assentes no chão. Daí que quando Igor Martinho decide abrir um restaurante em Lisboa e chamar-lhe Soberba, ninguém espera que isso seja a confissão de um defeito qualquer. Por vezes, um nome é só um nome. Sem sombra de sobranceria. Tanto que, ao lançar-se nesta nova aventura, o chef de 33 anos não abriu mão do seu cantinho em Arrouquelas, a aldeia do Ribatejo onde cresceu e onde ainda vive. Esse, o Mãe Luísa, funciona agora em regime de menu de degustação.

De volta a Lisboa: o Soberba não é um decalque do primogénito, nem Martinho se quer afirmar como um embaixador do Ribatejo. «Quero conciliar a cozinha de grelha com a cozinha de chef», diz. O menu gira em torno desses dois capítulos: os peixes e carnes com tratamento de grelha e as mesmas proteínas em pratos de fogão. Carnes maturadas, lombo de bacalhau, secretos de porco preto, carabineiros no primeiro tomo, no outro coisas como bochecha de vitela de comer à colher ou polvo salteado com batata-doce, malagueta, cogumelos, bacon e lima. Pratos de autor com um pé assente na cozinha de raízes. O mesmo nas entradas, onde há assunto suficiente para uma refeição petisqueira e informal – sopa rica de peixe e gambas, queijo de ovelha panado com chutney de framboesa, camarões panados com maionese de açafrão e lima, e umas tiras de choco de exemplar fritura, com tártaro negro.

Vamos a ver bem, e Igor Martinho nunca se desvia da cozinha de conforto, aquela onde nos sentimos bem e onde sabemos que o medo de arriscar não tem lugar. Tal como o chef, risco calculado, com a escolha do sítio, no bairro de Santos, próximo das Avenidas Novas, porém retirado da azáfama, numa rua onde só vai quem lá quer ir. Fugir do furacão turístico era preocupação, a par do espaço e da sustentabilidade do negócio. Aqui há tranquilidade, e é isso que o próprio ambiente puxa: chegar, ficar, apreciar. A sala ampla, mesas apartadas qb, madeiras claras no chão e nos tampos. E, detalhe a não menosprezar (mas demasiadas vezes esquecido): cadeiras muito cómodas. A lembrar-nos de que somos bem-vindos, mesmo para longas refeições. Afinal, sem conforto do corpo não há conforto do estômago.

Partilhar
Partilhar
Mapa da ficha ténica
Morada
Rua da Beneficência, 229 (Entrecampos)
Telefone
217961200
Horário
Das 12h00 às 15h00 e das 19h00 às 23h00. Encerra ao domingo.
Custo
(€€) 30

Website

GPS
Latitude : 38.7442874
Longitude : -9.158504499999935

 

Leia também:

10 restaurantes para comer boa carne em Lisboa
8 restaurantes para comer ceviche em Lisboa
12 motivos para passear no novo Eixo Central de Lisboa



CONTEÚDO PATROCINADO