Portugal tem 26 estrelas Michelin. Saiba onde estão

Estava prometido, pelos responsáveis do Guia Michelin, que este ano iria ser memorável para Portugal. Não foi a chuva de estrelas que se anunciava, mas ainda assim juntaram-se nove estrelas à constelação portuguesa. Um grande dia para a gastronomia portuguesa.

Há pouco mais de um mês, Ángel Pardo, diretor de relações externas do Guia Vermelho, e Mayte Carreño, diretora comercial da Michelin Travel Partner, anunciavam, em conferência de imprensa, que em 2017 Portugal iria duplicar a sua contabilidade de estrelas Michelin. A nova edição da bíblia da boa mesa foi anunciada hoje, em Girona (Espanha), e, embora o resultado não tenha sido tão expressivo como inicialmente prometido, acabou por ser o ano mais positivo da história do guia em Portugal.

O Grande Porto foi uma das regiões mais distinguidas: Rui Paula ganhou a sua primeira estrela, na Casa de Chá da Boa Nova (Matosinhos); Vítor Matos, ao leme do Antiquum (Porto), conquista a segunda estrela Michelin da sua carreira (já antes a tinha assegurado na Casa da Calçada, em Amarante); e Ricardo Costa dá ao The Yeatman, em Vila Nova de Gaia (na foto), a primeira insígnia de duas estrelas no Norte do país. Pedro Lemos (Porto) mantém a estrela conquistada em 2014. Tal como a Casa da Calçada, em Amarante, agora sob a batuta de André Silva.

O Alentejo volta a brilhar na constelação Michelin, com Miguel Laffan a recuperar para o L’And Vineyard a estrela perdida no ano passado.
Uma das grandes surpresas (ou nem tanto) desta edição é a Madeira: de apenas uma estrela, conquistada há já oito anos, o Funchal triplica o número de galardões. O William, restaurante-bandeira do Belmond Reid’s Palace, chefiado por Luís Pestana com consultoria de Joachim Koerper, alcança a sua primeira estrela. E Benoît Sinthon conquista as duas estrelas Michelin para o Gallo d’Oro, que se torna o primeiro restaurante insular português a consegui-lo.

No Algarve, não há alterações: Vila Joya (Albufeira) e Ocean (Vila Vita, Porches) mantêm as duas estrelas. E Henrique Leis, São Gabriel (Almancil), Willie’s (Vilamoura) e Bon Bon (Carvoeiro) defendem a estrela que já detinham. A Grande Lisboa, por último, iguala o Algarve em número de estrelas. Ao clube ao qual já pertenciam o Belcanto (Lisboa **), Feitoria (Lisboa **), Eleven (Lisboa *) e Fortaleza do Guincho (Cascais *), juntam-se agora, com uma estrela, Alexandre Silva (Loco, Lisboa), Henrique Sá Pessoa (Alma, Lisboa) e Sergi Arola (Lab, no Penha Longa, Sintra).

 

São estes os estrelados portugueses na edição 2017 do Guia Michelin:

Duas estrelas **
. The Yeatman, Vila Nova de Gaia
. Belcanto, Lisboa
. Ocean (Vila Vita Parc), Porches
. Vila Joya, Albufeira
. Il Gallo d’Oro (The Cliff Bay), Funchal

Uma estrela *
. Casa de Chá da Boa Nova, Matosinhos
. Pedro Lemos, Porto
. Antiquum, Porto
. Casa da Calçada, Amarante
. Fortaleza do Guincho, Cascais
. Lab (Penha Longa), Sintra
. Feitoria (Altis Belém), Lisboa
. Eleven, Lisboa
. Alma, Lisboa
. Loco, Lisboa
. L’And Vineyards, Montemor-o-Novo
. São Gabriel, Almancil
. Henrique Leis, Almancil
. Willie’s, Vilamoura
. Bon Bon, Carvoeiro
. William (Belmond Reid’s Palace), Funchal

Clique na imagem para saber mais sobre cada um destes restaurantes:
gm

 

Artigo relacionado: Guia Michelin 2017: será um ano de ouro para Portugal

 

 



CONTEÚDO PATROCINADO