Porto: Uma esplanada abrigada com vista para o Douro

Há quem diga que é a mais bonita do Porto e ganha pontos pela localização privilegiada: voltada para o rio e para o mar, a Oporto Café está também preparada para as tardes de inverno.

Mesmo em época de tempestades, são raras as vezes que o Oporto Café não enche ao almoço. Tanto turistas quanto residentes escolhem este restaurante no Passeio Alegre (a avenida-jardim na margem do Douro que liga o rio à sua foz) tanto para uma refeição mais clássica como para petiscos e um copo de vinho.

O espaço, aberto há pouco mais de dois anos, começou por ser o irmão mais novo do restaurante Oporto, que se situava no Largo da Igreja, na Foz Velha, um pouco acima. A ideia, explica José Luís Kendall, um dos três sócios, era que este funcionasse de forma diferente: «O outro era mais clássico, tipicamente inglês na decoração, e servia comida tradicional portuguesa». O Oporto Café é mais descontraído, «mais leve, mais marítimo», não traindo a qualidade gastronómica do restaurante que, entretanto, fechou. «Optámos por ficar só com este e a maior parte dos clientes tornou-se assídua do novo.»

A localização privilegiada – o rio e o mar estão mesmo à frente do restaurante – resulta bem, muito devido à esplanada abrigada, funcional em qualquer época do ano. Alguns chamam-lhe «a esplanada mais bonita do Porto, outros a melhor esquina da cidade», diz Kendall, elogiando o trabalho realizado pelo arquiteto Pedro Guimarães e pelo decorador Fernando Marques de Oliveira, no edifício onde chegou a funcionar o Instituto de Socorros a Náufragos.

A cozinha está nas mãos do chef Alberto Jesus, que desceu do Largo da Igreja para continuar o seu trabalho em prol da comida tradicional portuguesa e expandi-lo para outras latitudes. Da carta fazem parte opções como o bife de atum com puré de batata-doce, o bife Wellington ou polvo em tempura com risotto.

 

Oporto Café
Avenida D. Carlos I, 8 (Passeio Alegre) Porto
Tel.: 226103187
Web: facebook.com/restauranteoportocafe
Das 12h00 às 01h00; sexta e sábado, até às 02h00; domingo, até às 00h00. Não encerra.
Preço médio: 25 euros

 


Leia também os artigos:
Um bar inspirado nos anos 1920 no centro de Lisboa
Os melhores pratos que provámos em 2016
Um restaurante em Cascais para começar o ano a comer saudável



CONTEÚDO PATROCINADO