O quiosque vermelho do Porto está de volta

O quiosque da praça de Carlos Alberto, no Porto, estava fechado há três anos e Joana e Emanuel, que por ele passavam diariamente, restauraram-no para ali divulgarem sabores portugueses e artesanato local.

O Quiosque da Ramadinha, ou “quiosque vermelho”, como muitos se habituaram a chamar-lhe, na praça de Carlos Alberto, no Porto, reabriu em meados de setembro, pelas mãos de Joana Maia e Emanuel Lopes.
A estrutura, onde o casal quer «divulgar produtos portugueses», da Ginjinha da Abadia às Raivinhas, passando pelos Gelados de Portugal ou pelos viraventos da Brincavento, é uma réplica de 1992 da original, que foi edificada naquela que é hoje a praça dos Poveiros provavelmente no início do século XX e entretanto transferida para a Carlos Alberto.

Ela é psicóloga, professora e estudante de Medicina, tem 32 anos. Ele, mais velho um ano, é formado em Artes Plásticas e tem um negócio de aluguer de bicicletas. Vivem no centro histórico e passavam diariamente pelo quiosque, que se encontrava devoluto desde 2013, uma imagem que lhes partia o coração. Contactada a Autarquia portuense, dona do quiosque, perceberam que teriam de esperar «que houvesse concurso».

Assim fizeram e, em junho último, conseguiram ficar com a concessão da estrutura cujo nome vem do facto de a praça onde se encontra já se ter chamado largo da Ramadinha. «Quando descobrimos que esse era o nome original do quiosque, que é de Interesse Municipal, decidimos mantê-lo», conta Joana.

Ao ‘balcão’ ou na esplanada do Quiosque da Ramadinha, é possível pedir uma ginjinha em copo de chocolate (1,5 euros) ou normal (2 euros) ou comprar uma garrafa (2 euros para uma pessoa, 4 para duas e 8 para quatro). Também se serve o Favaíto (1 euro), a famosa referência de Moscatel do Douro, e há ainda à venda artigos de artesanato local, como os tais cata-ventos da Brincavento (a 2,5, 3 e 10 euros, estes últimos em cortiça) ou uns porta-chaves de pano em forma de sardinha (4,5 euros), e postais da Welcome Home (1 euro), um projeto que promove a inserção laboral de sem-abrigo da cidade.

Quiosque da Ramadinha
Praça de Carlos Alberto, Porto
Web: facebook.com/quiosqueramadinha
Horário: Das 10h00 às 19h00, de segunda a domingo.
Preços: Favaíto a 1 euro, ginja 2 euros, postais 1 euro e artesanato a partir de 2,5.



CONTEÚDO PATROCINADO