Novo guia ‘Lisboa à Mesa’ desvenda o melhor da cidade

Cinco anos separam as duas edições do guia Lisboa à Mesa - Onde Comer; Onde Comprar, que na versão revista e melhorada passa a cobrir 238 restaurantes e 112 lojas na capital. O seu autor, o jornalista gastronómico Miguel Pires, desvenda alguns dos seus maiores achados.

Miguel Pires, um dos autores do blogue de gastronomia e vinhos Mesa Marcada, lançou o primeiro Lisboa à mesa em 2011, reunindo não só os melhores restaurantes da cidade como uma ampla seleção de talhos, mercados, garrafeiras e outras moradas para quem gosta de comer. Volvidos cinco anos, o jornalista relança o guia, numa edição revista e aumentada que inclui 238 restaurantes e 112 lojas

O que mudou em Lisboa, na restauração e nas lojas de comida, nestes cinco anos que separam um guia do outro?
Houve uma maior concentração de novas aberturas nos bairros mais centrais, nomeadamente nas áreas de Cais do Sodré, Chiado e Príncipe Real, um fenómeno que se deveu, em boa parte, ao boom do turismo em Lisboa,

Em que barómetros/indicadores se baseia para atribuir as classificações?

A ideia foi definir uma classificação de 3 a 5, com incrementos de meio ponto, já que para estar no guia um lugar tem de cumprir aquilo a que chamo de «mínimos olímpicos», o que corresponde a uma nota 3. Por sua vez, o 5 significa, claro, um grau elevado de excelência – e aqui fui exigente, dado que só atribuo notas máximas a dois restaurantes.

O que é preciso para que um restaurante ou loja entre no rol dos seus favoritos?

Tem de ter, no mínimo, uma pontuação 4 e reunir algumas caraterísticas específicas, como qualidade e personalidade.

Qual o segredo mais bem guardado de Lisboa (mas que está no seu guia)?
Há vários, mas destaco um: Companhia Portugueza do Chá. Até à sua abertura, nunca o chá tinha sido bem trabalhado por cá, o que é estranho pois tivemos uma boa quota parte de importância na divulgação da bebida, nomeadamente a sua introdução na corte inglesa.

E, já agora, as três melhores relação qualidade-preço de Lisboa?
Sem reflexões muito demoradas: a Taberna da Rua das Flores (Chiado), o restaurante japonês Bonsai (Príncipe Real) e a geladaria Nannarela (São Bento).

Quando encontra um restaurante que se encaixa naquilo que entendemos de porto seguro, para repetir muitas vezes, e à margem das novidades, consegue facilmente dividi-lo com os leitores ou há algum que guarda só para si?

Divido-os com os leitores, sim. Só que dissimulo-os entre os 350 para disfarçar.

livro

Ed. Planeta
Preço: 15,99 euros



CONTEÚDO PATROCINADO