Um festival para comer bacalhau fresco até ao final de abril

Meia centena de restaurantes - em Lisboa, Porto e Guimarães - colocaram o skrei, bacalhau fresco e de sabor mais suave apenas disponível nesta altura do ano, nas suas ementas até ao final de abril.

O fiel amigo continua a ser, para a maioria dos portugueses pelo menos, um bacalhau curado e salgado com o qual somos capazes de fazer autênticas maravilhas. Nos últimos três anos, a Norge (Conselho Norueguês das Pescas), ciente desta predileção nacional e da importância económica do nosso mercado, tenta cativar o nosso gosto para algo que, sem prejuízo do que já conhecemos, pode elevar a degustação do bacalhau a outro patamar.

Trata-se do SkreiFest, um festival que visa promover, através da parceria com restaurantes e revendedores, o bacalhau fresco da Noruega capturado com regras muito específicas (em quantidade e qualidade) durante a época de desova que vai de 1 janeiro a 30 de abril. E só.

Um curto período de tempo, conhecido como o “Milagre do Skrei”, mas que vale ouro, pois este bacalhau do Ártico, devido à sua alimentação (camarão, arenque ou capelim) e aos milhares de quilómetros que têm de nadar, contracorrente, entre o mar de Barents e as zonas costeiras da Noruega (em especial as ilhas Lofoten), apresenta uma textura firme (carne mais musculada e carnuda) e um paladar muito suave.

O sucesso das edições anteriores levou a que os organizadores alargassem o festival deste ano a cinquenta restaurantes distribuídos por Lisboa, Porto e Guimarães. Em cada um deles, até ao final de abril, será possível encontrar na ementa um prato em que o skrei é o rei da festa.

A lista completa dos restaurantes aderentes e dos pontos de venda em Portugal pode ser consultada em skreidanoruega.com/skreifest

 

Veja também:

Ílhavo: a terra do bacalhau e que tem o farol mais alto
O culto pelo fiel amigo no Clube do Bacalhau, em Lisboa
Lisboa: boa comida e vinhos numa garrafeira em Arroios



CONTEÚDO PATROCINADO